Advogada que residiu em Juara e possui familiares na cidade tem WhatsApp clonado e amigos depositam R$20 mil a pedido de hackers

Foto: Reprodução / Ilustração

Advogada tem WhatsApp clonado e amigos depositam R$20 mil a pedido de hackers

A advogada Silviana Milene dos Santos, de Cuiabá, teve o WhatsApp clonado na noite da última sexta-feira (12). Por volta das 18h, seus amigos receberam mensagens em seu nome, pedindo que fizessem transferências bancárias para ajudá-la, e dizendo que ela pagaria no dia seguinte. Seis pessoas chegaram a fazer a transferência, e tiveram, no total, um prejuízo de cerca de R$20 mil.

Segundo a vítima, às 17h40 ela recebeu uma mensagem com um código de verificação para o WhatsApp. “É aquele código que mandam quando você instala o aplicativo. Mas como eu não tinha instalado em nenhum aparelho, eu só ignorei”, contou Silviana ao Olhar Direto.

Código enviado ao celular de Silvane 

Depois disso, seu aplicativo ficou fora do ar por cerca de duas horas, como se tivesse sido desinstalado de seu aparelho. Às 18h48, uma amiga ligou para pedir a confirmação dos dados para o depósito, e ela soube que estava sendo vítima de um golpe.

Ligação da amiga (esq.) e tela do WhatsApp quando Silviana tentou entrar

O WhatsApp voltou a funcionar em seu aparelho por volta das 20h, depois que ela recebeu uma ligação com um novo código de verificação. Quando o aplicativo voltou, ela estava sem nenhuma conversa salva.

Diversos amigos passaram a lhe enviar fotos das telas das conversas. Em todas elas, o pedido era o mesmo: “Eu to precisando transferir um dinheiro para um terceiro que presto (siq.) um serviço pra mim, só que hoje paguei umas contas e meu limite excedeu. Você não consegue transferir pra mim? Amanhã cedo eu já te transfiro sem falta”.


‘Printscreens’ enviados por amigos

A vítima não sabe ao certo para quantas pessoas foram enviadas as mensagens. “O que me intriga é que quando mandam mensagem de presídios o português está sempre errado… essas mensagens foram mandadas por pessoas instruídas, que sabiam como escrever. E eles estudaram as minhas conversas, falaram com meus amigos da forma que eu falo com eles”, disse.

A advogada foi para a delegacia confeccionar o Boletim de Ocorrência neste sábado (13). Segundo ela, eles tentaram rastrear as contas em que o dinheiro foi depositado. “Mas foram várias contas diferentes, e é como se a conta fosse só uma ‘barriga’, porque elas também foram hackeadas e o dinheiro foi para outro lugar”. Nenhuma das pessoas que depositou o dinheiro conseguiu recuperá-lo até agora.



Algumas das transferências realizadas

A única desconfiança da vítima, até agora, é com a empresa de telefonia de seu celular. “Eu fui às 17h pagar uma conta na empresa, e às 17h40 meu WhatsApp foi hackeado”, conta. Além do Boletim de Ocorrência, ela também quer mover uma ação contra a empresa.

fonte: olhar direto


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*