Armado, sargento da PM é preso por homicídio de pai de ex-deputado Valtenir Pereira

Armado, sargento da PM é preso por homicídio de pai de ex-deputado
Francisco Martins Pereira, 59 anos, conhecido como “Sargento Martins”, teve o mandado de prisão por condenação cumprido na noite da última terça-feira (05), pela Gerência Estadual de Polinter, da Polícia Judiciária Civil. Ele é apontado como um dos autores do assassinato que vitimou, Valdivino Luiz Pereira, pai do ex-deputado federal Valtenir Pereira, ocorrido no ano de 1983.

Francisco Martins Pereira, teve o mandado de prisão cumprido após trabalho de monitoramento realizado pela equipe da Polinter. Ele foi condenado a 12 anos de prisão pelo crime.

O suspeito foi abordado, em via pública no bairro CPA-I, seu veículo Chevrolet S-10, próximo a sua residência. Com ele, foi encontrado uma pistola .40, um carregador e 13 munições .40..

Após ter o mandado de condenação cumprido, o acusado foi conduzido a Polinter e será encaminhado para audiência de custódia na manhã desta quarta-feira (06), no Fórum da Capital.

Decisão

O Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que não há impedimento para que o sargento aposentado Francisco Martins Pereira e Sandoval Resende da Silva comecem a cumprir a sentença imposta a eles, já transitada em julgado. Os dois foram condenados pelo assassinato de Valdivino Luiz Pereira, pai do ex-deputado federal Valtenir Pereira (MDB). O entendimento foi do ministro Luiz Fux.

O recuso foi impetrado por Valtenir Pereira, contra decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso que reformou uma decisão do júri popular e absolveu os dois acusados da morte de seu pai.

Francisco é sargento aposentado da Polícia Militar de Mato Grosso. Irmão de Zé Guia, Sandoval atua como empresário em Rondonópolis (200 km de Cuiabá). Ambos também foram condenados a 12 anos de prisão por homicídio qualificado pelo tribunal do júri, em 2005.

O crime

Na noite do crime, Valdivino Pereira participou de solenidade de posse de prefeitos e vereadores e, quando deixava o então vereador Chico do Cachoeira (PMDB) em casa no distrito São Lourenço de Fátima, a mulher e filha do parlamentar estavam chorando porque os simpatizantes de Zé Guia e de Sandoval Rezende da Silva – então vereador do PDS – realizavam uma festa na casa vizinha, soltando fogos de artifício em cima da casa do peemedebista.

Valdivino Pereira então pediu que eles parassem de soltar fogos. Esse foi o motivo do crime, conforme o processo. O caso teve repercussão nacional porque Valtenir Pereira e quatro irmãos cursaram direito para tentar fazer justiça. Por exemplo, no programa ‘Planeta Xuxa’, da rede Globo, a família contou a história e a luta para colocar os acusados na cadeia.

fonte: olhar direto


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*