Aulas são retomadas em escola onde diretora foi esfaqueada por professor em Mato Grosso

Aulas estavam suspensas desde o dia 29 de novembro, quando o crime ocorreu. A diretora foi atingida por, pelo menos, três golpes de faca no ombro no cotovelo e nas mãos.

Por Emerson Sanchez, TV Centro América


Escola Municipal Daniel Paulista Campos — Foto: Assessoria

Escola Municipal Daniel Paulista Campos — Foto: Assessoria

Os alunos da Escola Municipal Daniel Paulista Campos, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, onde a diretora foi esfaqueada por um professor, voltam às aulas a partir desta quarta-feira (4). As aulas estavam suspensas desde o dia 29 de novembro, quando o crime ocorreu.

A volta às aulas foi decidida durante uma reunião entre a direção da escola junto à Secretaria Municipal de Educação, realizada nessa terça-feira (3).

Rosileide Vaz foi esfaqueada durante expediente — Foto: Facebook/Reprodução

Rosileide Vaz foi esfaqueada durante expediente — Foto: Facebook/Reprodução

A diretora Rosileide Vaz da Silva foi esfaqueada pelo professor Cleiton Gomes Da Silva, de 45 anos, durante o expediente de trabalho. Os alunos estavam na escola no momento do crime e foram mantidos nas salas de aulas pelos professores.

Professor invadiu escola, tentou matar diretora a facadas e foi preso em Rondonópolis — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Professor invadiu escola, tentou matar diretora a facadas e foi preso em Rondonópolis — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Segundo a Polícia Militar, Cleiton tentou trancar a porta para impedir a entrada de outras pessoas. A diretora foi atingida por, pelo menos, três golpes de faca no ombro no cotovelo e nas mãos.

Rosileide foi levada às pressas ao posto de saúde do bairro e transferida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Pronto Atendimento.

Cleiton Gomes Da Silva, de 45 anos, esfaqueou a diretora Rosileide Vaz da Silva — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Cleiton Gomes Da Silva, de 45 anos, esfaqueou a diretora Rosileide Vaz da Silva — Foto: Polícia Militar/Divulgação

O professor teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva. Cleiton afirmou à polícia que não se lembra dos fatos.

A secretaria de educação declarou que Cleiton é servidor efetivo do município há mais der 15 anos e que já trabalhou em outras escolas da cidade. Ainda segundo a prefeitura, há um laudo médico que autorizava ele a voltar para escola.

Marcas de sangue ficaram pela escola em Rondonópolis — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

Marcas de sangue ficaram pela escola em Rondonópolis — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Assessoria

A secretaria disse que abriu um processo administrativo pra analisar se o professor será ou não retirado do cargo.


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*