Caso suspeito de peste bubônica é investigado em São Gonçalo no Rio de Janeiro

Hospital, Luiz Palmier, Peste BulbônicaIlustração Google maps

Por Jéssica Antunes*  Rio de Janeiro

Depois de cerca de 30 anos sem registrar um caso de peste bubônica no estado, o Rio de Janeiro investiga uma suspeita da doença em São Gonçalo, no Grande Rio. A direção do Hospital Municipal Luiz Palmier, onde a vítima está internada, confirmou a suspeita na última quinta-feira (10).

Segundo comunicado divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo, o paciente não apresenta quadro clínico característico da doença. No entanto, a bactéria responsável pela peste bubônica foi identificada em um exame preliminar feito pelo município.

De acoro com a nota, o material colhido no exame foi encaminhado para reavaliação pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), do governo do estado, e também pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os resultados dos exames sairão nos próximos dias, segundo a Secretaria de Saúde de São Gonçalo.

O subsecretário estadual de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, destaca que a peste bubônica tem um nível muito elevado de cura quando tratada precocemente. “Foi iniciado o protocolo de tratamento de peste, que não é nada complicado, é apenas o uso de antibiótico.”

Chieppe esclarece que não existe risco de alastramento ou epidemia. Segundo ele, essa é uma doença já controlada em todo o país. “A gente vai lidar com esse caso com muito cuidado. Pode ser só uma suspeita. A princípio o paciente não preenche os critérios de definição da peste”, afirma.

A peste bubônica, também conhecida como peste negra, é uma doença transmitida por meio de uma bactéria presente em roedores. A contaminação é feita por meio de pulgas que picam o animal infectado e depois os humanos. O último caso registrado no Brasil foi no estado do Ceará, em 2005.


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*