Corpo de Padre Quevedo é velado em Belo Horizonte nesta quinta-feira

Por Alex Araújo, G1 Minas — Belo Horizonte

Corpo de Quevedo é velado em Belo Horizonte — Foto: Alex Araújo/G1

Corpo de Quevedo é velado em Belo Horizonte — Foto: Alex Araújo/G1

Oscar González Quevedo Bruzan, o Padre Quevedo, é velado nesta quinta-feira (10), em Belo Horizonte. Padre Quevedo morreu nesta quarta-feira (9), por complicações cardíacas, na Casa Irmão Luciano Brandão, no bairro Planalto, onde morava desde 2012.

O velório, que é aberto ao público, acontece no ginásio da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, onde fica a casa em que morava, no bairro Planalto. O enterro no Cemitério Bosque da Esperança, no bairro Jaqueline, será às 11h.

O padre ficou famoso pelo bordão “isso non ecziste”, ao desmistificar eventos considerados paranormais. Na década de 1970, desmascarou o ilusionista Uri Geller, que dizia entortar talheres com a força da mente.

Padre Quevedo morre aos 88 anos de problemas cardíacos em BH — Foto: Reprodução/JN

Padre Quevedo morre aos 88 anos de problemas cardíacos em BH — Foto: Reprodução/JN

“Ele foi uma personalidade que teve projeção nos meios de comunicação usou a parapsicologia como instrumento para esclarecer fenômenos”, disse o padre João Augusto MacDowell, de 84 anos, contemporâneo de Quevedo.

Os dois se conheceram em 1968. De acordo com ele, Quevedo ajudou a compreender a vida, os fenômenos, e os acontecimentos.

O padre jesuíta Mizael Araújo, de 34 anos, foi aluno de Quevedo, em São Paulo, onde fez o curso de parapsicologia, e disse que o religioso dedicou a vida para fazer o bem.

“Ele só rezava. Era uma pessoa encantadora, calma, tranquila. Foi uma existência dedicada a servir às pessoas”.

Ainda segundo Araújo, Quevedo usava a parapsicologia para combater o charlatanismo. “Parece estranho, mas ele amava o pecador e odiava o pecado”, completou.

Padre João Augusto Mac Dowell foi contemporâneo de Padre Quevedo — Foto: Alex Araújo/G1

Padre João Augusto Mac Dowell foi contemporâneo de Padre Quevedo — Foto: Alex Araújo/G1

No ano 2000, Padre Quevedo apresentou o quadro “Caçador de Enigmas” no Fantástico, onde desvendava fenômenos da natureza e expor charlatões.

O religioso investigou casos como o das gêmeas que diziam sentir as mesmas coisas mesmo estando separadas; desmascarou a farsa de uma casa mal-assombrada e comentou casos de premonição envolvendo a queda do Foker da TAM.

Natural de Madri e naturalizado brasileiro, Padre Quevedo é considerado um dos maiores especialistas do mundo na área de parapsicologia e autor de dezenas de livros, muitos dos quais traduzidos para outras línguas, como “O que é parapsicologia”, “A Face Oculta da Mente” e “As Forças Físicas da Mente”. Além de parapsicologia, era formado em filosofia, teologia e humanidades clássicas.

Segundo a Ordem dos Jesuítas, Padre Quevedo ingressou na Companhia de Jesus aos 15 anos. Em 1959, aos 29 anos, chegou ao Brasil e, na década de 1960, naturalizou-se brasileiro.

Ele foi professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), onde também foi diretor.

Padre Quevedo questiona o poder dos curandeiros

Padre Quevedo questiona o poder dos curandeiros

Padre Quevedo investiga casa mal assombrada

Padre Quevedo investiga casa mal assombrada


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*