Deputado Estadual e Médico Sanitarista fala em catástrofe e defende aulas suspensas até setembro em Mato Grosso

Cálculo, com base em índices de aumento dos casos de coronavírus no Estado, aponta que Mato Grosso pode ter de 30 mil a 90 mil casos até o dia 1º de agosto.

ALMT

MÁRCIA MATOS

Médico sanitarista, o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) traça, em entrevista ao Conexão Poder, um panorama dos casos de coronavírus no Estado que podem chegar de 30 mil a 90 mil casos até o dia 1º de agosto e defende que o retorno às aulas seja suspenso até o mês de setembro, quando chega ao fim ao inverno inicia a primavera.

Ao Conexão Poder, o deputado pontua que além do relaxamento social, o início do inverno contribui para o aumento de casos e a volta às aulas seria uma situação trágica, pois uma criança que tem convivência com até 6 pessoas, passaria a ter convivência com outras 500 crianças e somado o ciclo de convivência de cada uma delas, cada criança passaria a ter contato indireto com 2,500 pessoas.

“Não é hora de voltar a funcionar as escolas. Tem que observar a evolução da curva. Na minha opinião, como médico sanitarista, que está observando a evolução do vírus aqui em Mato Grosso, nós não podemos voltar as aulas antes do fim do inverno. Então só pode se pensar em voltar a atividade escolar em agosto. Maio, junho e julho de jeito nenhum. Agosto começa a ver o comportamento da curva porque a gente tem que pensar em tranquilizar, quando a curva subir, estabilizar e começar a cair. Então quando começar a cair é que a gente tem que começar a conversar sobre voltar. Então para mim só em agosto a gente tem que começar a voltar a falar no retorno escolar na primavera,  se até lá a progressão da doença não sofrer nenhuma alteração negativa”, avalia o deputado.

Na entrevista, Lúdio alerta que as crianças, em sua maioria têm sintomas leves ou são assintomáticas e por isso se tornam transmissores do vírus em suas famílias, mas além disso, cerca de 10% dos casos desenvolvem quadros graves.

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*