Em Mato Grosso a falta de chuvas aumenta chance de perdas na soja e vendas da safra travam

Apesar de já terem conseguido terminar o plantio da safra, muitas lavouras não estão conseguindo se desenvolver por falta de umidade

Por Pedro Silvestre, de Cuiabá (MT) – canal rural

Apreensivos com a irregularidade das chuvas nesta safra e os impactos que isso pode trazer a produtividade, produtores de Mato Grosso resolveram travar um pouco o ímpeto de vendas da safra 2020/2021 que será colhida no próximo ano. De acordo com o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), as comercializações avançaram apenas 2 pontos percentuais em novembro, menor avanço desde o início das negociações.

O produtor Fabricio Portilho, de São José do Rio Claro (MT), negociou antecipadamente apenas 18 mil sacas de soja, com entregas programadas para fevereiro. O restante da produção vai deixar para negociar mais para frente. A cautela se deve ao baixo índice de chuvas na lavoura de 1.400 hectares.

“Esse ano iniciei o plantio da minha safra em 18 de outubro e acabei de semear em 14 de novembro. Não terei colheita em janeiro, que sempre colhi. Vou começar a colher em fevereiro e deixar as minhas vendas futuras para perto da colheita”, afirma.

A preocupação é evidente, principalmente nas últimas áreas plantadas, onde alguns talhões estão com atrasos na germinação, estandes baixos e plantas fracas. Portilho já estima que as perdas podem chegar a 20% da produção desta safra.

“Tivemos um outubro com pouca chuva. Mas novembro e parte de dezembro não tivemos nada. É a primeira vez que estamos encarando isso aqui, passando grandes dificuldades na fazenda”, conta Portilho.

soja lavoura plantio chuva clima aprosoja imea

Outras propriedades do município também foram prejudicadas pela escassez hídrica e já esperam perdas que irão interferir na produtividade média final do município, que nesta safra cultivou 140 mil hectares com o grão.

“Esse ano está sendo bastante difícil na questão das chuvas, elas atrasaram muito, bastante desigual e desparelhas. Aqui, por ser uma terra mista, as lavouras sentem um pouco mais rápido, tem muita abertura de área de pasto que virou lavoura e não tem muita matéria orgânica. Eu calculo que as perdas na produtividade já chegam a 15%. Estamos pedindo a Deus que as chuvas se regularizem, daqui para frente, para evitar mais perdas”, afirma Aparecido Rodrigues, presidente do Sindicato Rural do município.

Em todo Mato Grosso, os produtores negociaram até o momento 66,4% da safra de soja 2020/2021, segundo dados do Imea. Isso é mais que os 51,1% negociados nesta época do ano passado. Volume bem maior que em 2019, mas rentabilidade nem tão alta assim.

“Sem dúvidas que se a gente tivesse uma bola de cristal, as vendas não seriam tão intensificadas no período em que os preços estavam lá embaixo. Mais de 60% da comercialização foi realizada a preços menores do que está no mercado hoje e cada um fez as vendas de acordo com seus custos. A gente deixa de ter uma rentabilidade em função do que aconteceu, mas não tem como prever”, afirma o vice-presidente da Famato, Marcos da Rosa.

soja lavoura plantio chuva clima aprosoja imea


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*