EXEMPLO DE AMOR: Órfão dá exemplo de luta ao criar sozinho 3 filhos; 1 com hidrocefalia

O açougueiro não tem com quem deixar os filhos para ir trabalhar e vive com recursos escassos. Apesar das dificuldades, a história de Maciel é relatada como exemplo de amor e persistência.

Eduardo Lima Maciel e os três filhos vivem com apenas um salário mínimo.

Órfão de mãe desde os seis anos de idade e criado em orfanato até os 18 anos, o açougueiro desempregado, Eduardo Lima Maciel trava uma verdadeira batalha para conseguir criar sozinho os três filhos, que têm entre quatro e oito anos. O mais velho, Enzo, tem hidrocefalia e sofre com com ataques epiléticos.

Maciel enfrenta grandes dificuldades para criar os filhos porque, desde que a ex-mulher os abandonou, ele não tem com quem deixar as crianças para ir trabalhar.

Custear a alimentação e pagar as contas básicas como de aluguel, água e energia são desafios constantes e por isso a família necessita de doações.

A única renda da família é uma pensão no valor de um salário mínimo, que recebe do INSS pela condição especial do filho mais velho.

Atualmente, o pai tenta cadastrar Enzo no projeto Buscar – uma Van da Associação Mato-grossense  de Transportadores Urbano MTU, que leva crianças com necessidades especiais para escola -.

“Não quero que eles passem o que eu passei. Sou uma pessoa muito sozinha, me sinto muito sozinho. Desde mais jovem o meu sonho foi constituir uma família, ser o provedor da casa, ter uma companheira. Mas por enquanto ainda não deu certo”, lamentou Maciel.

“Eles buscam e depois trazem a criança para casa. Seria ótimo, porque assim daria para eu trabalhar, nem que seja vendendo salgados pela rua, onde eu conseguiria flexibilizar os horários para cuidar das crianças”, avalia.

Para ele, apesar das dificuldades enfrentadas os filhos são a melhor coisa que poderiam ter lhe acontecido. O açougueiro comenta que agora sonha em ter uma esposa para completar a família.

“Pai é pai. Ele era muito teimoso. Não deixava ninguém cuidar dele. Foi se afundando na bebida até morrer de insuficiência cardíaca”, relembra.

“Acho que minha carência e principalmente o amor que eu tenho pelos meus filhos vêm daí. Não quero que eles passem o que eu passei. Sou uma pessoa muito sozinha, me sinto muito sozinho. Desde mais jovem o meu sonho foi constituir uma família, ser o provedor da casa, ter uma companheira. Mas por enquanto ainda não deu certo”, lamentou Maciel com lágrimas nos olhos.

Exemplo de persistência, Maciel lembra que depois que saiu do orfanato foi em busca do pai alcoólatra e tentou o ajudar, já que em suas palavras “pai é pai” e não havia da parte dele nenhum rancor pelos maus-tratos sofridos.

“Pai é pai. Ele era muito teimoso. Não deixava ninguém cuidar dele. Foi se afundando na bebida até morrer de insuficiência cardíaca. Convivi apenas três anos com ele. Depois que eu saí do orfanato. Nunca tive condições de dar uma vida confortável para ele, mas eu fiz o que estava ao meu alcance”, comentou.

Doações

As doações têm sido essenciais na sobrevivência da família e nos cuidados com Enzo, principalmente pela necessidade de fraldas descartáveis.

Maciel não possui conta bancária. Quem estiver disposto a ajudar pode procurar por ele na Rua 13 de junho, Centro de de Cuiabá, número 1245. Os interessados também podem entrar em contato com ele pelo telefone 65 99296-6548.

Galeria de Fotos:

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*