Ferrugem asiática: confirmado 1º caso em soja comercial de Mato Grosso nesta safra

SANIDADE VEGETAL

Ferrugem asiática: confirmado 1º caso em soja comercial de Mato Grosso nesta safra

Doença foi identificada em lavoura no município de Tangará da Serra semeada na segunda quinzena de setembro.

Por Pedro Silvestre, de Cuiabá (MT)

folha com ferrugem asiática

Foto: Canal Rural/reprodução

Consórcio Antiferrugem confirmou nesta sexta-feira, 3, a primeira ocorrência de ferrugem asiática em lavoura comercial de soja em Mato Grosso na safra 2019/2020. O caso foi registrado um dia antes no município de Tangará da Serra.PUBLICIDADE

A doença foi identificada em uma planta no estádio fenológico R6, em uma lavoura semeada na segunda quinzena de setembro de 2019.

Na safra passada, o primeiro dos 31 casos de ferrugem asiática registrados em Mato Grosso também foi confirmado próximo à virada do ano. Na safra 2018/2019, o primeiro caso em lavoura comercial de soja no estado foi confirmado em Campo Novo do Parecis, em 27 de dezembro de 2018.

Nesta safra, o Consórcio Antiferrugem confirmou até agora 22 casos da doença em todo o Brasil. O primeiro foco em âmbito nacional deste ciclo foi registrado no último dia 4 de dezembro, no município paranaense de Ubiratã.

O Consórcio é uma parceria público-privada criada para monitorar e combater a ferrugem asiática da soja no Brasil. Ele conta com cerca de cem laboratórios cadastrados em todo o país, capacitados para identificar a doença, e tem a participação de pesquisadores de instituições públicas e privadas, distribuídas em todas as regiões brasileiras.

Sobre a doença

A ferrugem asiática é a principal doença na cultura da soja e representa um custo médio de US$ 2,8 bilhões por safra no Brasil. Entre as principais estratégias de manejo da doença estão: o vazio sanitário, a utilização de cultivares precoces e a semeadura no início da época recomendada, o uso de cultivares com genes de resistência e o uso de fungicidas.


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*