Fethab: Governador de Mato Grosso afirma que vai analisar reivindicações do setor

Após uma manhã inteira de discussões sobre a realidade do setor produtivo em Mato Grosso, cerca de 1500 agricultores e representantes da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja-MT), seguiram pelas as ruas do Centro Político e Administrativo de Cuiabá em direção à Assembleia Legislativa do Estado e ao Palácio Paiaguás, sede do governo estadual. Depois de serem recebidos pelos parlamentares (9 ao todo), o grupo se reuniu com o Governador Mauro Mendes.

Nas duas ocasiões, os produtores entregaram uma carta com as principais reivindicações do setor. A principal delas é o fim da cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) sobre o milho, que começou a “valer” este ano. Além disso, os agricultores querem que os recursos do fundo sejam aplicados exclusivamente em infraestrutura e logística. A manifestação faz parte do movimento “Mato Grosso Forte – quem paga imposto cobra resultado’’.

De acordo com a Secretaria de Estado e Infraestrutura e Logística (Sinfra), apenas 23% das rodovias em Mato Grosso são asfaltadas. No documento entregue ao governo, a Aprosoja lista algumas rodovias que precisam urgentemente de asfaltamento e atenção. Entre elas estão a MT-129, MT-130, MT-488 e MT-222, que hoje geram prejuízos para quem precisa percorrê-las para escoar a produção.

O governador Mauro Mendes se comprometeu a analisar as reivindicações. “O compromisso que fiz foi de analisar toda a pauta e, até o fim do mês, apresentar a posição do governo. Daremos uma resposta se será possível ou não atender aos pedidos. Se não for possível, vou dizer um não”, destacou.

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), reforçou que as alterações feitas no início do ano no Fethab (que incluíram a incidência do imposto sobre o milho), levaram em consideração o posicionamento do setor produtivo. Porém, reconheceu que após ouvir os depoimentos dos agricultores, entende que a “nova cobrança” não é viável. Para o parlamentar, “é necessário buscar um entendimento entre o Governo do estado, Assembleia Legislativa e os produtores rurais para que sejam feitas as mudanças no uso exclusivo do Fundo para as rodovias de Mato Grosso.’’

Enquanto isso, muitos agricultores que dependem de estradas ruins para transportar o que produzem são penalizados com a precária infraestrutura. O agricultor Ari Baltazar Langer, do município de Gaúcha do Norte, é dono de uma área de 4 mil hectares e conta indignado que há anos a região sofre com a falta de asfalto e as péssimas condições das rodovias estaduais que dão acesso ao município. Com custos cada vez mais altos com frete, produção e diesel, ele afirma que a falta de logística aumenta consideravelmente os prejuízos de quem produz na região.
fonte: canal rural


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*