Furto de grãos na hora do embarque: veja 3 dicas para não ser a próxima vítima

Criminosos usam documentos falsos, fingem ser prestadores de serviço e desviam cargas em fazendas e armazéns

A grande movimentação nas fazendas e armazéns durante a colheita da safra tem chamado a atenção de criminosos. Em Mato Grosso, agricultores estão preocupados com o aumento dos casos de desvios e furtos de grãos na hora do embarque da produção. Com isso, o trabalho passou a exigir alerta redobrado, afinal , nem sempre quem está carregando os grãos é a pessoa que diz ser.

“Essas pessoas chegam nas fazendas para carregar e estão com documentos e ordem clonados, carregam os produtos e levam embora. Como são clonados, não se consegue rastrear e, por isso,  precisamos aprender técnicas para evitar esse tipo de crime que gera prejuízos a muitos produtores”, conta Silvano Filipetto, presidente do Sindicato Rural de Sorriso.

Encontro debateu estratégias para evitar furtos de grãos no embarque da safra

A maneira de agir mudou. Mas o campo segue como alvo dos criminosos, segundo Márcio Portela, delegado da Polícia Civil na região. “Esse crime envolvendo cargas tem evoluído bastante. Os criminosos vêm migrando, do assalto e do roubo com violência, para esses desvios sem violência, mas de forma muito lucrativa. Os criminosos vêm ‘pulverizando’ por várias cidades do estado esses crimes, esses desvios. E aqui em Sorriso não é diferente, é um campo fértil para este tipo de criminoso”.

A frequência deste tipo de caso preocupa os agricultores e levou o Sindicato Rural do município a realizar um encontro na noite desta quarta-feira, 24, para debater o assunto. Representantes da segurança pública orientaram os produtores sobre como tentar combater os desvios, roubos e furtos de cargas. A ideia é agir preventivamente, com verificação rigorosa de documentos usando tecnologias simples e eficientes. “Existem ferramentas que podem ser utilizadas de forma gratuita, em código aberto e que, inclusive, operam sem conexão com a internet”, aponta Leonardo Ramos, chefe da sexta Delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Sorriso. Ele apontou 3 ações preventivas que podem ser adotadas para evitar fraudes durante o carregamento dos grãos. Confira:

  • Use a tecnologia para conferir os documentos do prestador de serviço

    Ramos diz que é fundamental conferir a documentação apresentada pelos motoristas que vão realizar o transporte da produção. Uma boa ferramenta que ajuda a aumentar o nível de segurança, segundo o PRF, é o aplicativo VIO, disponibilizado gratuitamente nas plataformas Apple Store e Google Play. Com ele é possível fazer a confirmação dos códigos QR Code presentes nos documentos digitais e na Carteira Nacional de Habilitação emitida após maio de 2017.

 

  • Cheque as placas e lacres do caminhão

    O chefe da sexta Delegacia da PRF de Sorriso também reforça a importância de conferir os lacres das placas dos veículos que vão fazer o transporte dos grãos. Os lacres devem estar intactos e a sua presença é obrigatória nas placas emitidas até o fim de janeiro de 2020. Já as placas do Mercosul não possuem lacre, mas o agricultor pode utilizar o aplicativo VIO para conferir o QR Code impresso nelas. Assim, poderá confirmar se as informações sobre o veículo estão corretas.

 

  • Confira o número do chassi do veículo

    Outra medida preventiva, segundo Leonardo Ramos, é a conferência dos números do chassi do veículo. Ele indica o uso do aplicativo Sinesp Cidadão, desenvolvido pelo Governo Federal e disponibilizado gratuitamente no Google Play e na Apple Store. Entre outras coisas, o aplicativo permite ao usuário consultar a situação de roubo ou furto de qualquer veículo do Brasil. Basta inserir a placa do veículo para obter as informações. O resultado da consulta também informará os 5 últimos números do chassi do veículo, permitindo que seja feita a conferência do número gravado nos vidros. Obrigatoriamente, todos os veículos em circulação no Brasil têm estes números gravados nos vidros.

Fonte: Canal Rural


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*