Homem é julgado novamente e condenado por matar fazendeiro em Tapurah

O tribunal do júri condenou Altair José Poltronieri Ribeiro, 33 anos, pelo assassinato do fazendeiro Cristiano Wittes dos Santos, 69 anos. A vítima foi morta, a tiros, em 30 de janeiro de 2011, em uma fazenda localizada na zona rural de Tapurah (244 quilômetros de Sinop). No mesmo dia, a mulher de Cristiano, Marcianita Salete Rampi, 45 anos, também acabou morta.

Altair foi submetido a júri popular, em junho do ano passado, respondendo pelo duplo homicídio. Para os jurados, no entanto, ele não havia sido o autor do assassinato de Cristiano, sendo condenado, na ocasião, a 14 anos de prisão apenas pela morte de Marcianita. O Ministério Público Estadual (MPE) recorreu e conseguiu, no Tribunal de Justiça, a anulação da absolvição, em relação à morte do fazendeiro.

O Tribunal, então, determinou que fosse realizado novo julgamento, o que ocorreu na última semana. Sentado no banco dos réus, pela segunda vez, Altair acabou condenado pelo assassinato de Cristiano. A sentença foi a mesma fixada pela morte de Marcianita: 14 anos de reclusão, em regime fechado. Os jurados entenderam que o crime foi cometido mediante recurso que impossibilitou ou dificultou a defesa da vítima.

Altair segue preso e não poderá recorrer em liberdade.

fonte: Só Notícias/Herbert de Souza (foto: assessoria/arquivo)


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*