Homem que estrangulou e matou ex com tijolada vai a julgamento no dia 20

CRIME BÁRBARO

Dineia Batista Rosa foi assassinada ao terminar o relacionamento depois de descobrir que o acusado havia matado ex-mulher em 2008.

Wellington Fabrício de Amorim Couto confessou o homicídio da ex-namorada por não aceitar o fim do relacionamento. Ele está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (antigo Carumbé) e seu processo corre em segredo de justiça, por se tratar de violência contra a mulher, sob o código 478865.

De acordo com informações repassadas pela Polícia Judiciária Civil (PJC) e divulgadas pela imprensa à época, o crime aconteceu no dia 20 de maio de 2017, na casa que Dineia havia comprado para a mãe, no Bairro Serra Dourada. A jovem havia terminado o relacionamento de cerca de dois anos após descobrir que ele havia assassinado a ex-mulher.

No interrogatório, o réu não demonstrou nenhum tipo de arrependimento pelo crime. Disse que provocou asfixia com as mãos e depois  estrangulamento com um pedaço de fio. Logo em seguida, com a vítima já desfalecida, começou a agredi-la com socos no rosto e finalizou o crime com um golpe de tijolo na cabeça.

Wellington Fabricio já havia sido condenado por homicídio anteriormente contra a ex-companheira, praticado em 2008, também na Capital. Ele cumpria pena em regime semiaberto desde 2013.

Outros julgamentos

Também sentam no banco dos réus, Hitalo Rocha Brage, acusado pelo homicídio de Eridelio J. Camargo Souza, por desavenças relacionadas à rivalidade entre gangues, segundo a denúncia do Ministério Público; Thiago Conceição de Souza, pela segunda vez, pelo homicídio de Salomão Neris, em virtude de cobrança de uma dívida de droga; Leandro de Almeida Rodrigues, por homicídio de Joel Pereira de Moraes e tentativa de homicídio contra Otoniel Boaventura, no Bairro CPA 2; Jean Caio Silva Nogueira, por assassinar o policial militar Valdecy Ribeiro de Ataídes por conta de uma dívida de R$ 600, dentre outros acusados de praticar crimes contra a vida.

Os júris são conduzidos pelo juízo da 1ª Vara Criminal, sob titularidade da juíza Mônica Catarina Perri Siqueira.

Confira a pauta completa do Tribunal do Júri de março AQUI.

fonte: repórtermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*