Jovem é encontrada seminua, com sinais de estrangulamento e lesões na cabeça

CRIME BRUTAL

Anna Alessandra Siqueira foi encontrada pelo proprietário da residência, que foi ao endereço procurar o inquilino para assinar o contrato

Jovem tinha 21 anos e crime aconteceu no bairro Dr. Fábio Leite 2, em Cuiabá

Anna Alessandra Siqueira Marcelino, 21 anos, foi encontrada morta no início da tarde desse domingo (17), seminua, com sinais de estrangulamento e lesões na cabeça, jogada de baixo de escombros nos fundos de uma casa do bairro Dr. Fábio Leite 2, em Cuiabá.

O proprietário da casa, nome não revelado, foi quem teria encontrado o cadáver, quando foi à residência procurar pelo inquilino para acertar questões sobre o contrato de aluguel.

De acordo com a testemunha, que acionou a Polícia Militar (PM), na segunda-feira (11) ele alugou a casa para um homem, identificado como “Sula”, porém teriam acertado de assinar o contrato no domingo.

O proprietário disse que chegou ao endereço por volta das 12h, chamou pelo morador, mas ninguém atendeu. Ele entrou na casa, sem móveis, quando confirmou que não tinha ninguém, no entanto, viu a jovem caída seminua debaixo de pedras, madeiras e tijolos.

Sobre o inquilino, a testemunha relatou que foi procurada pelo homem que havia relatado que tinha acabado de se separar da esposa e estava precisando de um lugar para morar.

Não há informações sobre o envolvimento da vítima com o acusado e sobre a motivação do crime.

A PM isolou o local, comunicou o fato à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e à Perícia Oficial e Identificação à Pessoa (Politec).

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado, periciaram toda a residência, que tinha manchas de sangue, e colheram evidências que aponte as circunstâncias do homicídio.

Em seguida o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia que deve confirmar a morte por estrangulamento, embora a vítima tenha sido encontrada ainda com ferimentos na cabeça e nos joelhos.

A DHPP acompanhou o trabalho da perícia, conversou com o dono da residência e deu início às investigações do homicídio e buscas pelo paradeiro do acusado.

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*