Júlio Modesto abandona o barco e deve enfrentar acusações

Mais um ‘intocável’ do governo Taques está abandonando o barco. O atual Chefe da Casa Civil, Júlio Modesto, não durou 3 meses no cargo e já pediu pra sair. Nomeado para a função no dia 3 de abril deste ano, Modesto pediu exoneração da função e apresentou sua carta de demissão na tarde desta quinta-feira (14).

Os motivos são obscuros, pessoas próximas diziam que ele não se sentia mais bem com as pressões fortes pra usar a máquina e torrar as reservas na reeleição. Levantamento do MPopular já apontava diversas irregularidades de Júlio Modesto quando ele comandou a Secretaria de Gestão, em especial nos contratos para aquisição de combustíveis para o governo. Antes de assumir a Casa Civil, ele ficou por 3 anos como titular da SEGES.

Alegando que irá para a iniciativa privada, Modesto deve torcer para o Ministério Público não alcançá-lo. Dos Secretários do atual governo ele é um dos poucos entre os que permaneceram, que não foi preso.

O 1º a ocupar o posto de chefe da Casa Civil foi o primo do governador, Paulo Taques, que está na cadeia até hoje. Depois foi José Adolpho, Max Russi e finalmente Modesto.

A baixa confirma a falta de habilidade de Taques em montar e manter uma equipe, que no início da gestão se dizia técnica, inclusive com contrato de gestão que não passou de firula propagandística. Nenhuma área do atual governo avançou nesses últimos três anos. Todos os secretários se envolveram em polêmica ou saíram por desavenças e personalismo do governador e do seu primo presidiário Paulo Taques que afastou os bons quadros do staff.

Por falta de um nome de envergadura, o governo que tem poucas ou quase nenhuma opção, deve remanejar a adjunta Paola Reis. A Casa Civil deve ficar capenga como o gabinete de governo que está sob o comando de um ex-vereador com pouca expressão política.

Fonte: Muvuca Popular


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*