Membro do PCC é torturado e tem corpo queimado pelo Comando Vermelho em Mato Grosso

Corpo foi encontrado na tarde deste sábado (20) em um terreno do bairro Serra Dourada, em uma região periférica de Várzea Grande

A Polícia Militar encontrou o corpo de um homem, que ainda não teve o nome revelado, por volta das 14h deste sábado (20), em um terreno do bairro Serra Dourada, periferia de Várzea Grande.

O corpo, segundo os policiais, estava carbonizado e coberto com pequenos arbustos próximo a estrutura de um presídio, que nunca ficou pronto.

Investigações apontam que a vítima, era um dos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), e foi morta por causa de uma rixa com o Comando Vermelho. Ele foi sequestrado na sexta-feira (19).

Ainda de acordo com a PM, o corpo estava com mãos e pés amarrados e com vários sinais de tortura. Também havia um pano enrolado no pescoço que, provavelmente, foi utilizado para asfixiar o rapaz.

A vítima foi reconhecida por familiares por causa das tatuagens.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Guerra entre facções

A rixa entre CV e o PCC em Mato Grosso aumentou muito nos últimos meses, resultando em mortes cruéis.

O cuiabano Márcio Lucas Preza Libanio, 21 anos, foi decapitado em um matagal no munícipio de Corumbá (MS). A Polícia suspeita que ele tenha sido executado por membros do Primeiro Comando da Capital, pois, quando morava em Mato Grosso, pertencia a uma facção rival, o Comando Vermelho.

O corpo dele foi encontrado por volta das 16h de quarta-feira (17).

Antes de ser morto, Lucas aparece em um vídeo, afirmando que não fazia mais parte do Comando Vermelho e que, ao se mudar para Mato Grosso do Sul, recebeu nova oportunidade de vida do PCC.


Imagem forte

Fonte: RepórterMT


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*