Mulher tenta se jogar do Mirante e é impedida por policiais

Bastante emocionada, a mulher relatou que estava muito deprimida, porque há algum tempo a sua filha havia cometido suicídio no local e que agora era o momento de se “encontrar com ela”.

Policiais militares impediram que uma mulher de 44 anos se jogasse da região turística do Mirante, em Chapada dos Guimarães. A tentativa de suicídio aconteceu na madrugada desta terça-feira (17).

Uma guarnição da PM fazia rondas pela área central da cidade de Chapada quando foi informada por uma equipe de segurança privada, que uma mulher havia perguntado sobre a localização do Mirante.

Os policiais estranharam a atitude da mulher e decidiram ir até o local. Ao chegarem no local, por volta das 03h00, os policiais avistaram um carro Fiat Pálio estacionado com as luzes acesas.

Eles fizeram uma vistoria e se depararam com a mulher a beira do penhasco, prestes a se jogar do Mirante.

Os policias então conversaram com a mulher e depois de algum tempo a convenceram de desistir de tirar a própria vida.

Bastante emocionada, a mulher relatou que estava muito deprimida, porque há algum tempo a sua filha havia cometido suicídio no local e que agora era o momento de se “encontrar com ela”.

A mulher foi encaminhada para o Hospital Municipal de Chapada, sendo internada pela equipe médica.

Ela, no entanto, fugiu da unidade e foi vista perambulando pelas margens da rodovia MT-251 (estrada da Chapada).

A PM novamente resgatou a mulher e a encaminhou para a Delegacia da Polícia Civil de Chapada. Ela foi mantida no local até que familiares chegaram para buscá-la.

O Mirante de Chapada é considerado um dos principais pontos turistícos da região. O local – cujo acesso é pela rodovia MT-251 – fica a 10 km da cidade de Chapada.

Suicídio

Em 2016, a advogada Ariadne Wojcik, 25 anos, cometeu suicídio ao se jogar do Mirante de Chapada.

Antes de se matar, ela publicou uma mensagem de despedida nas redes sociais, além de acusar o seu ex-chefe de assédio moral. Ela trabalhava num escritório de advocaia em Brasília.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o caso e confirmou que advogada sofria de depressão.

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*