Polícia Federal: ‘Ordem é destruir maquinários e implodir garimpo em Aripuanã’

Destruição da área invadida para exploração ilegal de ouro teve início nesta terça-feira (08), em Aripuanã.

Polícia Federal trabalha na 2ª fase da operação desde a manhã desta terça-feira (08).

A Polícia Federal (PF), em conjunto com as forças de Segurança do Estado de Mato Grosso e órgãos ambientais da União e do Estado, iniciou nesta terça-feira (08) a destruição do maquinário usado no garimpo ilegal de ouro, em Aripuanã (1.200 km de Cuiabá), e a implosão dos barracos e galerias na área de exploração que foi desocupada na segunda-feira (07), em ação da Operação Trype.

A destruição do que restou do garimpo ocorre sob medida judicial.

Imagens repassadas ao  mostram grande quantidade de barracos e galerias no garimpo, que formavam quase uma cidade.

Cerca de dois mil garimpeiros que ocupavam o local agora invadiram a cidade, onde protestam contra a desocupação e exigindo a devolução dos maquinários, o que já foi descartado pela Polícia Federal, conforme informou o delegado Carlso Henrique Cotta Dangelo, da Polícia Federal, que informpu ainda que houve prisões e responsáveis identificados estão foragidos.

O clima é de tensão na cidade. Os comerciantes fecharam as portas com medo de saques e outras ações violentas.

Desde a manhã desta terça-feira peritos da Polícia Civil, Politec, Polícia Federal, Secretaria do Estado do Meio Ambiente (Sema) e IBAMA trabalham em conjunto para dimensionar o dano ambiental e todo o estrago causado na região devido às atividades de garimpo no local.

Após o término de todo o trabalho pericial os policiais estarão liberados para dar início à destruição do material e implosão das casas.

Durante a desocupação, na segunda-feira (07), um garimpeiro se negou a deixar seu barraco e atirou contra policiais do Bope. Um policial revidou atingindo o garimpeiro que morreu com dois tiros no peito.

Garimpeiros invadem cidade

Cerca de dois mil garimpeiros expulsos da área em que faziam exploração ilegal de ouro fecharam uma rua no Centro da cidade, onde protestam desde a segunda-feira (07), contra a desocupação feita pela Operação Trype, deflagrada pela Polícia Federal (PF), em conjunto com as forças de segurança do Estado.

Em áudio ao que o  teve acesso, o presidente do Sindicato dos Garimpeiros, Antônio Vieira da Silva exige um representante da Polícia Federal e outro da Mineradora Nexa para tentar acordo, segundo ele, pacífico, para retirada dos objetos pessoais e dos maquinários usados na extração de ouro no garimpo. Veja matéria completa aqui.

Operação Trype

A Polícia Federal desencadeou na madrugada dessa segunda-feira (07) a  2ª  fase da Operação Trype em  ação conjunta com forças de segurança do Estado de Mato Grosso.

Essa  etapa tem  objetivo de cessar as atividades de um  grande  garimpo de ouro ilegal no município de Aripuanã.

De acordo com as investigações, além  do  impacto ambiental  na região,  o garimpo ilegal  estaria causando  grande devastação social  no município com aumento do índice de homicídios, tráfico de drogas, prostituição etc.

Cerca  de 160 policiais  e também  de servidores do Ibama e Secretaria Estadual de Meio Ambiente  atuarão   na área   durante toda semana.

 Vídeos mostram o momento em que as forças policiais chegam no local. Veja matéria completa aqui.

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*