Prefeito, ex-secretária e empresário são alvos de operação que investiga desvio de dinheiro de plantões médicos em MT

Por G1 MT

O prefeito e a ex-secretária de saúde de Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, e um empresário são alvos de uma operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) — Foto: Divulgação

O prefeito e a ex-secretária de saúde de Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, e um empresário são alvos de uma operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) — Foto: Divulgação

O prefeito e a ex-secretária de saúde de Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, e um empresário são alvos de uma operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) nesta quinta-feira (30), que investiga um suposto desvio de dinheiro de plantões médicos no município.

Segundo o Gaeco, foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra o prefeito Agnaldo Rodrigues de Carvalho, a ex-secretária de saúde, Kátia Monteiro, do empresário Nélio de Matos Junior, dono de uma empresa alvo da investigação.

G1 tenta localizar os advogados dos alvos da operação.

A medida cautelar foi cumprida nas cidades de Rondolândia e São Francisco do Guaporé (RO), sede da empresa e local onde residem alguns dos investigados.

As buscas também foram realizadas no gabinete do prefeito de Rondolândia, bem com no gabinete e na sede da Secretaria Municipal de Saúde.

O prefeito e a ex-secretária de saúde de Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, e um empresário são alvos de uma operação — Foto: Divulgação

O prefeito e a ex-secretária de saúde de Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, e um empresário são alvos de uma operação — Foto: Divulgação

A ordem de busca e apreensão foi expedida pelo desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, a partir de pedido apresentado pelo Núcleo de Ações de Competência Originária Criminal (Naco Criminal).

A investigação apura possível prática de crimes contra a administração pública por parte de Agnaldo, Kátia e Nélio.

A empresa de Nélio foi contratada pelo município como prestadora de “serviços de médicos plantonistas”.

Agnaldo Rodrigues (PP) é alvo da operação do Gaeco — Foto: AMM/Divulgação

Agnaldo Rodrigues (PP) é alvo da operação do Gaeco — Foto: AMM/Divulgação

A investigação aponta que parte dos valores recebidos pela empresa, pagos pela prefeitura, ao invés de terem sido utilizados para o pagamento dos profissionais de saúde contratados, teriam sido desviados em proveito do prefeito do prefeito, da ex-secretária e do empresário.

Além disso, há indícios de que os investigados se articulavam, frequentemente, para manter a empresa de Nélio como vencedora nos procedimentos licitatórios realizados pelo município, sempre com o objetivo de obterem vantagens ilícitas.


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*