Regularização fundiária será votada na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (20/05)

Segundo o relator da matéria, o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), texto do projeto segue em análise até o final desta terça-feira, 19.

Por Paola Cuenca, de Brasília

Mesmo em meio a protestos, o projeto de lei 2633/2020, que trata da regularização fundiária, será votado nesta quarta-feira, 20, no plenário da Câmara dos Deputados. Na noite desta segunda, 18, o deputado federal e relator da matéria, Marcelo Ramos (PL-AM), adiantou ao Canal Rural que fará sugestões em seu relatório. Umas delas é a exclusão de obrigatoriedade de georreferenciamento da parcela do território cuja titulação é requerida.

“Além do georreferenciamento da gleba, a lei pedia também o georreferenciamento da parcela. Nós vamos dizer que só precisa do georreferenciamento da parcela quando o Incra [Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária] não tiver o georreferenciamentos dos limites. Se o Incra já tiver, não tem porque fazer o georreferenciamento da parcela”, afirma.

Ramos também anunciou que deve sugerir a mudança do termo “declaração” por “requerimento” no artigo 13 do projeto de lei (PL) que elenca os requisitos para regularização fundiária de imóveis de até seis módulos fiscais. O parlamentar aponta que o termo “declaração” tem causado entendimento equivocado, como se o requerente pudesse se auto declarar proprietário das terras.

O parlamentar reforçou que não deve alterar o limite de módulos fiscais com direito à dispensa de vistoria prévia. “O meu relatório vai manter em seis módulos fiscais. Não vou abaixar para quatro e nem aumentar para 10”, definiu.

Audiência pública

Na tarde desta segunda, 18, o relator conduziu audiência pública sobre o PL na Câmara dos Deputados. De acordo com Ramos, algumas das sugestões feitas por convidados serão acatadas no relatório.

Uma delas foi feita pelo relator do Código Florestal e ex-deputado federal, Aldo Rebelo. Ele recomendou que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e as Forças Armadas sejam incluídas como órgãos com os quais o Incra pode fazer convênios a fim de facilitar o cumprimento de ações da regularização fundiária. No texto original, estão previstas parcerias com cartórios, bancos, Correios, entidades credenciadas pela AGência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), estados e municípios.

Outra sugestão recebida com aprovação por Ramos foi feita por Virgilio Viana, superintendente geral na Fundação Amazonas Sustentável. Ele expôs que grileiros tentam driblar a lei se fazendo passar por cooperativas, por isso é preciso exigir mais comprovações legais nessa modalidade, como comprovação de atividade e período mínimo de funcionamento legal.

Live

Nesta terça-feira, 19, às 19h45, o projeto Conexão Brasília realiza uma live com o tema Regularização Fundiária: grilagem ou justiça social no campo? O debate poderá ser acompanhado pelo InstagramYouTube Facebook do Canal Rural.

Vão debater o assunto o relator do PL, Marcelo Ramos, o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Geraldo Melo, e o deputado federal Zé Silva (SD-MG), autor do projeto.

fonte: canal rural


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*