Reinauguração da Salgadeira tem abraço de Taques e Júlio, pedido de traição e ‘bolo’ de Dória

Foto: Christiano Antonucci

Reinauguração da Salgadeira tem abraço de Taques e Júlio, pedido de traição e ‘bolo’ de Dória

Considerada a obra mais emblemática inaugurada pela atual gestão, a reinauguração do Terminal Turístico de Salgadeira Ramis Bucair teve momentos de reminiscências da primeira metade da década de 1980, troca de elogios entre o governador José Pedro Taques e ex-senador Júlio Campos (DEM), e ausência sentida do ex-prefeito João Dória Júnior (PSDB), de São Paulo. A obra se arrastava desde 2011 e somente foi destravada por cumprir diversas exigências do Ministério Público do Estado e, também, por decisão política do Polácio Paiaguás.

Pedro Taques observou que o objetivo é assegurar lazer para aqueles que têm menor renda. “Nós estamos construindo um novo futuro para as pessoas mais simples e mais humildes. Para  aqueles aos quais nós governamos. Criaremos emprego e desenvolvimento, com homenagem ao grande amigo Ramis Bucair, um dos mais ilustres mato-grossenses”, citou Taques, para a reportagem do Olhar Direto.

Após abraçar Júlio Campos, Pedro Taques recordou que era escoteiro e, nessa condição, compareceu à primeira inauguração do Complexo Turístico, em 1984. Depois, em 1998, após reforma do local na gestão do governador Dante Martins de Oliveira (in memorian), também se fez presente.

Pedido de “traição”

Em momento de descontração, o governador Pedro Taques lembrou que apoio Julio Campos no passado, “quando tinha seis anos” de idade, arrancando risos dos presentes. Julio puxou o microfone e lembrou que também já apoiou Taques, inclusive traindo o próprio partido, em 2010. Sem perder o rebolado, Taques afirmou que Julio pode, nesta eleição, “trair novamente”, apoiando a reeleição.

Ausência de Dória 

Taques minimizou a ausência de João Dória Júnior, também tucano, à reinauguração. “João Dória não pôde vir. Mandou um abraço a todos”, desconversou o chefe do Poder Executivo.

Já Júlio Campos recordou da inauguração de 1984, então primeiro terminal turístico de Mato Grosso. O evento teve direito a churrasco, show do cantor Wanderley Cardoso, um dos mais famosos da época, e à presença de João Dória, presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) no governo João Figueiredo.

O esforço dos ex-secretários Wilson Santos (PSDB), das Cidades, e Luiz Carlos Nigro, de Turismo, foi reconhecido por Campos.  “Desejo cumprimentar a todos do governo pela recuperação deste complexo. Me dava dó quando passava por aqui há algum tempo, vendo com prédio destelhado e acabado, fechados por oito anos”, citou Júlio.

Aproximadamente 350 pessoas compareceram à inauguração do Terminal Turístico de Salgadeira Ramis Bucair. O cerimonial informou que foram colocadas 244 cadeiras à disposição dos convidados, sob tendas. Muita gente ficou em pé, sob um sol de 32 graus centígrados à sombra.

O deputado Wilson Santos ponderou que a nova Salgadeira vai para o conceito da sustentabilidade, com rede coletora de esgoto, estação de tratamento de esgoto, trilhas suspensas e luminárias movidas a energia solar. “Então uma nova Salgadeira que tem que ser usada com mais cuidado, o banho vai ser ordenado, com mais cautela, e acho que é um presente pra quem conheceu a Salgadeira e para quem não conheceu”, citou Santos, para a reportagem do Olhar Direto.

A obra custou R$ 12,5 milhão e foi executada pela Concremax, que pertence ao empresário Jorge Pires de Miranda.

fonte: olhar direto


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*