Rosa Neide rebate Barbudo e pede para que ele explique compra de chaveiro por R$ 45,00

Foto: Assessoria

Rosa Neide rebate Barbudo e pede para que ele explique compra de chaveiro por R$ 45

A deputada federal Rosa Neide (PT) reagiu às críticas contra seus gastos da Cota de Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) feitas pelo deputado federal Nelson Barbudo (PSL) e pediu para que o colega de Câmara explique a compra de um chaveiro no valor de R$ 45 com dinheiro público.

Nesta semana, Barbudo usou suas redes sociais para criticar o excesso de gasto da cota de R$ 39,4 mil que os deputados de Mato Grosso recebem para exercer ‘atividades parlamentares’.

Ainda na publicação, o deputado comparou os seus gastos com o de Rosa Neide, que segundo o portal de transparência da Câmara, usou sete vezes mais recursos públicos que ele nestes 100 primeiros dias de mandato de ambos.

Enquanto Barbudo usou pouco mais de R$ 10 mil, Rosa Neide já gastou mais de R$ 71 mil com despesas como passagens aéreas, locação de veículos, combustível, materiais para escritório e hospedagem.

Em um vídeo publicado em sua página no Facebook, Rosa Neide explica que precisou usar o recurso da cota para fazer viagens para Brasília (DF) e para sua equipe viajar pelo Estado de Mato Grosso, justificando que sempre gastou bem menos que o teto de R$ 39,4 mil por mês.

“O que eu declaro lá é exatamente o que eu gasto, tenho um escritório em Cuiabá que eu pago R$ 4 mil pelo aluguel, pago telefone, água, energia, materiais, para os funcionários. Tenho dois carros alugado para o trabalho em Cuiabá e outro em Brasília. O que eu faço é transparente para todos conferir”, afirmou.

A parlamentar, por fim, questionou o valor de um chaveiro comprado por Barbudo no mês de abril, com o uso da cota e disse que irá acionar a justiça para que ele explique se ela está fazendo algo irregular em seus gastos.

“Este deputado que está me acusando, em um mês, gastou no escritório dele, que ele não disse se é alugado, se é dado, de onde é. Ele gastou R$ 45 com um chaveiro. Então quero saber se ele pode me acusar. Vou procurar a justiça para que diga se eu fiz alguma coisa errada”, finalizou.

fonte: olhar direto


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*