Servidores do Hospital Universitário Júlio Muller entram em greve

De acordo com a categoria, a paralisação deve iniciar a partir de terça-feira (5), mas, antes disso, os hospitais serão notificados sobre a decisão.

Metade do efetivo do Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM) deve entrar em greve a partir da próxima semana, por desacordo salarial com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que gerencia os hospitais universitários de todo o país.

De acordo com a categoria, a paralisação deve iniciar a partir de terça-feira (5), mas, antes disso, os hospitais serão notificados sobre a decisão.

A comunicação sobre a decisão pela greve foi divulgada na quinta-feira (31) após assembleia da categoria. Assim que receber a notificação da greve, o hospital vai elaborar uma escala para que os serviços essenciais sejam mantidos.

A assessoria de imprensa do HUJM explicou ao reportermt que dos 800 servidores, 408 são contratados pela Ebserh, mas o hospital possui condições de continuar com o atendimento, pois os grevistas vão manter a jornada mínima determinada por lei e os demais trabalhadores – que não pertencem a Ebserh – vão permanecer normalmente em seus postos.

“Além dos empregados públicos celetistas, contratados por concurso público pela Ebserh, o HUJM possui no seu quadro de funcionários servidores da UFMT, cedidos de outros órgãos (Secretaria Estadual de Saúde, Ministério da Saúde e secretarias municipais de saúde), além de terceirizados e docentes da UFMT”, explicou a assessoria.

Por meio de nota, a Ebserh afirma que está aberta para negociações e que avançou nos acordo de aumento salarial com a categoria.

Além disso, a empresa alega que “somente este ano, a estatal já contratou mais de 3 mil profissionais. A previsão é finalizar 2018 com cinco mil contratações via concurso público”.

Leia a nota da Ebserh na íntegra:

“A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) esclarece que mantém aberto diálogo com os empregados para finalizar o Acordo Coletivo de Trabalho (2018-2019). A instituição apresentou propostas com avanços nas cláusulas sociais e aumento salarial.

Na parte social, destaca-se a prorrogação do prazo de usufruto do intervalo da empregada nutriz, alteração da idade mínima e máxima dos dependentes legais para empregado acompanhar em consultas médicas, possibilidade de intervalo mínimo de 30 minutos de almoço para empregados administrativos que labore 8 horas diárias.

Na parte econômica, a proposta para o ACT2017/2018 – pagamento de 100% do INPC do período (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) com pagamento de 2 meses retroativos (janeiro e fevereiro de 2018), ou pagamento de 100% do INPC do período mais pagamento de uma parcela de R$ 1.800 para cada funcionário. Para o ACT 2018/2019, a proposta é de 60% do INPC do período. Todas as propostas estão de acordo com as orientações do Ministério do Planejamento.

A Ebserh reforça que se mantém, junto aos seus empregados, na direção de modernizar a gestão dos hospitais universitários federais e oferecer melhores condições de trabalhos nas unidades. Somente este ano, a estatal já contratou mais de 3 mil profissionais. A previsão é finalizar 2018 com cinco mil contratações via concurso público”.

fonte: reportermt


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*