Soja tem menor preço em um mês e boi se recupera; veja notícias desta sexta

Enquanto isso, as cotações do café caíram e o milho registrou uma pequena recuperação

  • Boi: arroba segue variando entre altas e baixas sem força para maiores avanços
  • Milho: mercado travado e com preços estáveis
  • Soja: cotações recuam apesar de recuperação em Chicago
  • Café: arábica tem leve queda com demanda fraca
  • No exterior: bolsas abrem último dia da semana sem direção definida
  • No Brasil: Bolsonaro confirma novo auxílio emergencial

Agenda:

  • Brasil: IGP-10 de fevereiro (FGV)
  • Brasil: IBC-Br de fevereiro (Banco Central)
  • Brasil: dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso (Imea)

Boi: arroba segue variando entre altas e baixas sem força para maiores avanços

Nesta semana, a arroba do boi gordo calculada pelo indicador do Cepea variou entre altas e baixas modestas, e não teve força para maiores avanços. A cotação subiu de R$ 299,95 para R$ 301,20 por arroba. Por coincidência, esta é exatamente a média dos preços entre o início de fevereiro e esta quinta-feira, 11. Ou seja, desde que superou os R$ 300, a arroba segue praticamente estável nesse patamar.

No mercado futuro, os contratos do boi gordo negociados na B3 tiveram leves recuos nas pontas mais curtas. Na parte mais longa da curva, a partir de julho, os ajustes se valorizaram. O vencimento para fevereiro passou de R$ 296,90 para R$ 296,80 por arroba e do maio foi de R$ 281,40 para R$ 281,30.

Milho: mercado travado e com preços estáveis

O mercado brasileiro de milho teve preços praticamente estáveis, com poucos negócios e produtores focados nos trabalhos, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. Segundo o analista Fernando Iglesias, o aumento das fixações de ofertas tem desacelerado e o atraso do plantio da safrinha é um fator que aumenta o risco climático.

O indicador do milho do Cepea refletiu a estabilidade dos preços e passou de R$ 83,16 para R$ 83,19 por saca. No acumulado de 2021, a cotação acumula uma alta de 5,8%. Se o indicador cair abaixo de R$ 82,78 por saca, será a quarta semana consecutiva de baixa na comparação semanal.

Soja: cotações recuam apesar de recuperação em Chicago

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá (PR) caiu mais de 1% pelo segundo dia consecutivo. A saca passou de R$ 167,39 para R$ 165,62 e chegou ao menor patamar da série em pouco mais de um mês. A cotação ainda reflete a forte queda observada em Chicago após o relatório do USDA, e apesar da recuperação parcial observada na quinta-feira, 11.

Na Bolsa de Chicago, o contrato para março recuperou cerca de um terço da queda observada após a divulgação do relatório e subiu de US$ 13,54 para US$ 13,674 por bushel. As exportações líquidas de soja pelos Estados Unidos ficaram acima do esperado pelo mercado e ajudaram no movimento de alta na bolsa.

Café: arábica tem leve queda com demanda fraca

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, o mercado físico brasileiro de café teve preços mais fracos e pressionados pela menor demanda dos compradores. Segundo a análise, as fortes chuvas em regiões produtoras importantes têm reduzido as negociações.

No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação ficou em R$ 655/660 a saca, contra R$ 660/665 do dia anterior. No cerrado mineiro, o café arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 665/670, no comparativo com R$ 670/675 de quarta-feira.

No exterior: bolsas abrem último dia da semana sem direção definida

As bolsas globais abrem o último dia de negócios da semana sem direção definida. Enquanto na Europa os principais índices acionários operam a maioria em queda, os futuros norte-americanos variam entre pequenas altas ou baixas, sem sinais do que prevalecer ao longo do dia. O mercado segue monitorando as discussões para o novo pacote de estímulos prometido pelo presidente Joe Biden.

Em relação à pandemia, Europa, EUA e outras regiões do hemisfério Norte que viram o número de casos e óbitos acelerar entre dezembro e janeiro estão observando desaceleração nos registros. Por um lado, a expectativa de recuperação econômica para este ano aumenta. Porém, este cenário já está precificado pelos investidores e surpresas negativas podem pressionar os mercados.

No Brasil: Bolsonaro confirma novo auxílio emergencial

O presidente Jair Bolsonaro confirmou que deve propor ao Congresso uma nova rodada de auxílio emergencial. Segundo ele, a expectativa é que o programa seja estendido por “3 ou 4 meses”. Os novos presidentes do Congresso têm pressionado o ministro Paulo Guedes a apresentar propostas de contrapartidas para o aumento de gastos decorrentes do novo auxílio.

Após os dados das vendas do varejo e do setor de serviços ficarem piores que o projetado pelo mercado em dezembro, o Banco Central divulga hoje o IBC-Br do mês. O indicador é calculado para se obter uma prévia mensal do PIB, que só é divulgado trimestralmente. A expectativa é que o IBC-Br confirme a desaceleração da economia brasileira no final de 2020.

 

Por Felipe Leon, com agências de notícias


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*