UFMT divulga lista com nomes de 230 alunos inelegíveis pela comissão de cotas; veja

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

UFMT divulga lista com nomes de 230 alunos inelegíveis pela comissão de cotas;  veja

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) divulgou a lista de 230 candidatos que foram considerados inelegíveis pela instituição, após análise das comissões de matrículas por ações afirmativas e de veracidade de declaração. O número é referente a cinco campus da instituição no Estado (Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Araguaia e Sinop).

Conforme a lista divulgada pela universidade, a maior parte das inelegibilidades se deu por conta de irregularidades no item que previa a verificação das autoafirmações das cotas. Este ponto do edital foi alvo de denúncias feitas por entidades do movimento negro, que relataram o caso ao Ministério Público Federal (MPF).

Em seu edital, a universidade pontua o seguinte: “O candidato que não comparecer ao procedimento de verificação após convocatória da Comissão Permanente de Homologação e Acompanhamento de Matrículas por Ações Afirmativas sem justificativa deferida, ou o candidato convocado, cuja Autodeclaração não for confirmada pela Comissão de Comprovação de Veracidade de Autodeclaração, será considerado Inelegido no Processo Seletivo SISU 2019, tendo sua matrícula cancelada”.

Porém, não foi informado se os candidatos da lista divulgada não compareceu para verificação ou se teve a autodeclaração negada. O campus ‘campeão’ em inegibilidade foi o de Cuiabá, com 113. Na ‘segunda colocação’ aparece o de Rondonópolis, com 54.

Confira as listas dos candidatos inelegidos: Cuiabá | Rondonópolis | Várzea Grande | Sinop | Araguaia

MPF

O Ministério Público Federal, por meio do 2º Ofício de Cidadania da Procuradoria de República em Mato Grosso (PRMT), instaurou procedimento para apurar a denúncia apresentada Conselho Estadual de Promoção de Igualdade Racial de Mato Grosso (CEPIR/MT), pelo Instituto de Mulheres Negras (IMUNE) e pelo Instituto de Formação, Estudos e Pesquisas Socioeconômico Político Cultural de Mato Grosso, sobre supostas irregularidades nas autodeclarações étnico-raciais de candidatos aprovados, por meio do SISU, para vagas destinadas às políticas de cotas raciais na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

De acordo com a denúncia, seis estudantes aprovados para o curso de Medicina da UFMT, não possuem os fenótipos compatíveis e nem atendem aos critérios étnicos-raciais exigidos por lei. Foram anexadas fotografias retiradas de redes sociais, de forma a tentar comprovar as fraudes nas autodeclarações.

A investigação instaurada pelo MPF/MT, a princípio, se destina a apurar suposta irregularidade perpetrada pela UFMT no estabelecimento de sistema de controles contra fraudes na autodeclaração étnico-racial e de critérios de “heteroidentificação”.

fonte: olhar direto


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*