Vereadores Ilso Pereira e Marcelo Cavalieri posicionam-se contrários à aprovação do Projeto de Lei nº 668/2019 que proíbe a pesca amadora por 05 anos nos rios de Mato Grosso por verem o impacto econômico e turístico negativo ao município de Tabaporã.

O governo de Mato Grosso quer proibir, a partir de janeiro de 2020, o transporte, armazenamento e comercialização de peixes oriundos dos rios do estado capturados através da pesca amadora por cinco anos.

O projeto de Lei nº 668/2019 que trata sobre a cota zero para pesca amadora foi encaminhado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e tramita na Casa de Leis para discussão e aprovação e posteriormente sanção do governador Mauro Mendes.

Os vereadores por Tabaporã Ilso Pereira e Marcelinho Cavalieri são contrários à aprovação do referido Projeto de Lei que segundo causa um impacto econômico e turístico negativo a população tabaporaense.

De acordo com os vereadores muitos munícipes pescam peixes para garantir a alimentação familiar, ou seja pesca de subsistência e o município tem o Festival de Pesca que figura entre os maiores do estado e que a premiação ultrapassa a casa dos R$ 70.000,00.

Os vereadores pontuam que o Festival de Pesca conta com a presença de vários deputados que prestigiam o evento. Ambos vêem a eventual aprovação deste Projeto de Lei que estabelece cota zero para pesca amadora como um retrocesso e que causará grande impacto na economia de Tabaporã e de todo o estado.

Ilso e Marcelinho relatam que pelo fato do município ser de pequeno porte a pesca amadora é um das práticas de lazer das famílias nos finais de semana e feriados. Os vereadores sugerem uma fiscalização mais rigorosa por parte do estado sobre a pesca predatória e trabalhar a conscientização dos pescadores profissionais e amadores.

Ilso e Marcelinho conclamam os deputados a escutar a voz do povo por meio das audiências públicas e votarem contrário ao Projeto de Lei nº 668/2019 de autoria do Governo de Mato Grosso.

da redação de O Melhor da Notícia


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*