Vítima do Dr. Bumbum afirma que quase perdeu a perna após bioplastia

Magda Maria Cardoso da Silva passou por duas sessões de bioplastia na perna esquerda sofreu sangramento e inflamações que resultaram em um mês de internações.

Há quatro anos a pensionista brasiliense Magda Maria Cardoso da Silva, 54 anos, ingressou com processo na Justiça, contra o o médico Denis Furtado. Ela alega que quase perdeu uma das pernas após passar por sessões de bioplastia em 2013.

Denis Furtado foi preso na tarde de quinta-feira (19), pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, acusado pela morte da bancária cuiabana Lilian Calixto, 46 anos, após a realização de procedimentos para aumento de glúteos, realizados no apartamento dele, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A mãe de Denis, Maria de Fátima, que teria participado do processo, está com o registro de médico cassado e também foi presa.

“O processo está correndo até hoje, mas a Justiça nunca conseguiu entregar uma intimação para ele. Agora, espero que a Justiça seja, finalmente, feita”, disse a pensionista em entrevista ao site Extra Online.

“Lembro que na segunda sessão senti uma dor insuportável e minha perna começou a sangrar muito. Minha amiga chegou a questionar o médico e ele disse que era normal. Ele colocou um esparadrapo e me mandou ir para casa”, conta a pensionista.

Por conta do procedimento mal sucedido, ela realizou drenagem e que até hoje a perna não voltou ao normal.

A pensionista relata que conheceu os trabalhos do médico através das redes sociais, em 2013, pois estava à procura um profissional que pudesse fazer uma correção na sua perna esquerda, que era mais fina. Após o segundo sessão de bioplastia passou a sentir dores fortes e sangramento na perna.

“Lembro que na segunda sessão senti uma dor insuportável e minha perna começou a sangrar muito. Minha amiga chegou a questionar o médico e ele disse que era normal. Ele colocou um esparadrapo e me mandou ir para casa. Alguns dias se passaram e a minha perna começou a ficar muito inflamada. Doía muito. Entrei em contato com o Denis e ele disse que estava no Rio e que mandaria uma enfermeira dele levar uma receita médica com antibiótico e anti-inflamatório pra mim, mas nada disso adiantou”, contou.

Ela relembra que o Doutor Bumbum a orientou para não procurar outros médicos, pois não saberiam cuidar do problema. Uma amiga a levou para emergência de uma unidade de saúde, logo após, foi transferida para o Hospital das Forças Armadas e passou por mais de três internações por quase um mês.

Denis Furtado nao tinha licença médica para atuar no Rio de Janeiro, somente em Brasília, mas na quinta-feira (19) o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal cassou o registro dele.

Prisão 

O médico Denis Furtado foi preso na tarde desta quinta-feira (19), pela Polícia Militar do Rio de Janeiro. Ele estava foragido desde sábado (14), após a Justiça decretar prisão temporária por homicídio qualificado. A mãe dele, Mária de Fátima, também foi presa.

De acordo com a Polícia Militar, a prisão ocorreu após informações através do Disque Denúncia. Policiais do setor de inteligência capturaram o médico e a mãe dele em um centro empresarial na Barra da Tijuca.

Caso Lilian

Lilian saiu de Cuiabá para o Rio de Janeiro, no último sábado (14), para fazer um procedimento estético para aumentar os glúteos. A bioplastia foi feita no apartamento de Denis Furtado. Segundo investigações, ela foi submetida ao procedimento para aplicação de PMMA (polimetilmetacrilato), um polímero, ou fibra sintética, em forma de gel, usada para preenchimento de partes do corpo.

A suspeita é de que o produto tenha sido injetado, por engano, em um vaso sanguíneo, o que teria causado embolia pulmonar.

Ela passou mal horas depois e foi levada por Denis para atendimento em um Hospital D’or. Os médicos realizaram procedimentos para recuperação de Lilian, no entanto, ela morreu na madrugada do domingo (15).


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*