Médico xinga cozinheira de “macaca” e oferece dinheiro para transar com funcionárias de hotel

FORA DE CONTROLE

O acusado também xingou os policias de “vagabundos”, “filhos da p*”, e mandou as guarnições “se fod*”. Caso foi registrado em Rondonópolis na noite dessa terça-feira.

Um médico de 47 anos foi preso na noite de terça-feira (13), após causar confusão e xingar a funcionário de um hotel, no bairro Jardim Esmeralda, em Rondonópolis (212 km de Cuiabá). Ele teria chamado a mulher de “vagabunda, macaca, preta e gorda”, além de oferecer dinheiro para outras funcionárias em troca de sexo.

De acordo com o boletim de ocorrência, os policias foram até o estabelecimento e receberam a informação de que o médico estava em visível estado de embriaguez.

O acusado estava hospedado no hotel há um mês.

A vítima das agressões racistas e gordofóbicas é a cozinheira do hotel. A recepcionista do local presenciou e confirmou as ofensas e acrescentou que o médico também havia quebrado algumas garrafas de cerveja no quarto em que estava hospedado.

A funcionária contou ainda que o acusado entrou no quarto de outro hóspede e se recusava a sair.

O médico também xingou uma hóspede de “vagabunda” e ainda ofereceu dinheiro para duas recepcionistas manterem relações sexuais com ele.

As trabalhadoras do hotel relataram que o médico vinha “aprontando” por vários dias no hotel, por conta do alto consumo de bebidas alcoólicas. Ele causava vários transtornos no estabelecimento.

Os policiais foram abordar o médico, mas em todo o momento ele xingava os militares de “vagabundos”, “filhos da p*”, e mandou as guarnições “se fod*” e ameaçou os policiais, dizendo que sua esposa é juíza.

Diante dos fatos, o homem foi conduzido para a delegacia da cidade. Foi necessário uso de algemas, pois ele tentou quebrar os vidros da viatura.

O caso será investigado pela Polícia Civil.

 

Fonte: ReporterMT


Comentários

Publicidade de Exemplo

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*